2007-10-24

Distribuição de Dividendos
Por Vasco Eiriz

Os sonhos do meu banco
Chegou carta lá a casa, vinda do banco. Receber cartas do banco, todos nós recebemos mas, neste caso, a proposta era mais ambiciosa: «Concretize os seus sonhos!», assim mesmo, escrito em letras garrafais e bem carregadas. Assinada por alguém duma obscura Direcção de Inovação e Promoção Comercial, a carta jura a pés firmes: «Queremos que realize os seus sonhos! Por isso, temos em exclusivo para si um crédito pré-aprovado de 2.500€, pelo prazo de 84 meses, que poderá usar para a finalidade que pretender.» A própria missiva elenca possíveis destinos do crédito – entre eles um curioso e incompreensível «reequilibrar o seu orçamento familiar» - e acrescenta o blá, blá do costume. O primeiro que choca é o banco pensar que uns parcos 2.500 euros podem realizar os meus sonhos! Como ainda por cima a carta chegou no exacto dia que foram conhecidas as operações familiares do BCP, então a sugestão que aqui se dá ao Estado e seus reguladores é que além de fiscalizarem devidamente a actividade bancária, metam travões mais eficazes na forma como se "vendem" serviços.

Database interactive banking
Há um outro banco de que sou cliente e que também me tem irritado solenemente. Este, além de cartas, envia SMSs maçadores e, não plenamente satisfeito, farta-se de telefonar. A proposta é também invariavelmente a mesma. Insistem, insistem em colocar 6.000 euros na minha conta bancária. Ao contrário do outro banco, não promete concretizar os meus sonhos mas consegue ser ainda mais maçador. Sempre que recebo o telefonema, termino amavelmente a conversa com o/a operador/a a dizer-lhe que o banco deve implementar o pedido que repetidas vezes tenho feito de eliminar a identificação do meu telemóvel da base de dados. Explico que é um direito que me assiste por lei e - algo estupefactos por eu não querer os 6.000 euros - lá acabam por registar o pedido. Passam-se depois algumas semanas, e os episódios repetem-se sucessivamente sem que haja qualquer respeito. Nas duas últimas tentativas, terminei a conversa informando que irei proceder a uma queixa formal sobre o comportamento do banco. E não é que agora me começaram a telefonar para outro número sempre a quererem forçar-me a pegar nos 6.000 euros! E eu não sou filho do presidente!! Imaginem se fosse, eram logo 12 milhões. E aí talvez eu conseguisse concretizar alguns dos meus sonhos.

Desacordo de regime
Também a caixa de correio electrónico recebeu mensagem, bem mais importante. Trata-se de manifestação de indignação sobre o estado da justiça e segurança em Portugal: «Este comentário poderia parecer político mas é mesmo uma opinião. Quando um órgão de soberania, como é o caso da Assembleia da República, que aprova um Código Penal que incentiva o crime, que outra coisa poderemos esperar senão insegurança. Havendo máfias criminais, vão aparecer máfias de "justiceiros" pelo país fora, se os cidadãos inseguros sentirem que a justiça é uma espécie de magazine. Tenho dito.» Disse e disse muito bem, caro leitor. Eu só acrescentaria que estas "reformas" em curso na justiça muito devem a um "acordo de regime" entre o partido do Governo e o maior partido da oposição. Com resultados destes, eu cá prefiro que não haja acordos de regime. E, se Menezes pretende uma nova constituição e quer terminar com o Tribunal Constitucional, então não vejo como seja possível manter um acordo de regime na área da justiça.

Distribuição de dividendos mais generosa
Agora que descobri uma caneta de ponta afiada e tinta fresca estou tentado a distribuir dividendos mais frequentemente. Ao longo dos últimos meses – desde Março passado quando iniciei esta nobre política de Distribuição de Dividendos – tenho feito pagamentos quase religiosamente de 15 em 15 dias, à sexta-feira. Mas agora vou adoptar uma política mais expansionista e generosa. Nada prometo, mas garanto valor acrescentado para os cliques neste blogue. Haverá mais dividendos para todos, pelo menos enquanto durar a tinta fresca e a ponta da caneta permanecer afiada. Sim, sim, porque matéria não falta. E, claro, não forçarei qualquer crédito.

Distribuição de Dividendos, uma coluna com estatutos desblindados que não necessita de autorização da assembleia geral para distribuir dividendos e garante OPAs céleres.

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.