30 março 2015

A moral

«A ERC demonstrou dúvidas sobre a nomeação de Daniel Deusdado para diretor de programas da RTP. A equipa apresentada pela nova gestão (Gonçalo Reis, Nuno Artur Silva e Cristina Vaz Tomé) propôs novos elementos para (quase) todas as direções mas o nome de Deusdado está a gerar alguma controvérsia, segundo o Público, por ser proprietário, com a sua mulher, de duas produtoras, a Farol de Ideias e a Pequeno Farol. A mesma questão surgiu com Nuno Artur Silva, que tinha uma participação nas Produções Fictícias, mas este acabou por a vender depois de aceitar o cargo na RTP. No caso de Deusdado, tal é mais complicado pois a sua mulher também é proprietária da produtora, o que é agravado pelo regime de bens que adotaram no casamento. É a possibilidade de favorecer as suas produtoras que preocupa a ERC.» (Expresso, 27 de março de 2015)
Foi sempre assim, com políticos, jornalistas, empresários, advogados, etc., etc., etc.. Não sei do que se queixam agora. Estaremos perante uma nova moralidade na sociedade portuguesa?! Era bom que fosse, mas não acredito nisso.

28 março 2015

26 março 2015

Um hipermercado de notícias

As relações produtor-distribuidor são dos temas mais antigos e estudados em marketing e estratégia. Um dos exemplos mais evidentes é o da relação entre produtores, por exemplo de bens alimentares ou de qualquer outro produto, e os grandes retalhistas. O tema é de facto um clássico e sempre atual como mostra esta história em que se conta que o Facebook ambiciona uma posição de maior destaque como distribuidor de notícias e informação produzida pelos media mais tradicionais. Enfim, repito, um tema clássico, revisitado no setor dos media em ambiente digital.

25 março 2015

Estante



Estante, selecção de livros de ensino e investigação em gestão estratégica, empreendedorismo e marketing recomendados pelo editor deste blogue.

Estante, a selection of books for learning and research in strategic management, entrepreneurship, and marketing recommended by the editor of this blog.

23 março 2015

O consumo de iogurtes

Esta mensagem enviada para a rede de correio eletrónico da Universidade do Minho alerta para um problema sério que existe hoje entre os investigadores e que se tem vindo a agravar.



Clique para aumentar e ler com atenção.

22 março 2015

Berlin Wonderland



«[...] Berlin then was a place of total freedom, but also of lawlessness and hooligans. A time when MiG 21 jets were re-appropriated for artistic purposes and squatted buildings secured with welded barricades [...]»

21 março 2015

20 março 2015

Correspondência comercial

Um professor pode ter alguns dilemas. E nos tempos difíceis que se vivem no mercado, pode também ser cruelmente honesto.

Bom dia.

​Teria todo o gosto em emitir a carta de recomendação que me pede para se candidatar ao mestrado em marketing que pretende. Dá-se, contudo, a circunstância que eu próprio sou diretor do Mestrado em Marketing e Estratégia aqui na Universidade do Minho. Se, por um lado, isto não é um impeditivo formal para recomendar um mestrado concorrente, tenho que ser sincero consigo e admitir que nem eu ficaria bem com recomendação tão "desonesta", nem provavelmente, pelo paradoxal da situação, você beneficiaria dessa recomendação.

Para concluir, peço-lhe compreensão para o ponto de vista que acabo de expor e recomendo-lhe o nosso Mestrado em Marketing e Estratégia! Obviamente, no caso de pensar candidatar-se ao nosso mestrado, não faz sentido tal carta de recomendação porque esta informação não é um critério de ordenação e colocação dos candidatos, nem tão pouco eu escrevo cartas para mim próprio.

Atenciosamente.

19 março 2015

17 março 2015

Repórter X - 003

Depois de as duas entradas anteriores de Repórter X terem sido preenchidas com sugestões à volta do Apartamento na Quinta do Lago, no Algarve, ruma-se agora a norte, para junto da Casa da Toca, no Minho. Onde é incontornável uma ou outra referência ao vinho verde, em particular o Alvarinho, talvez a principal fonte de rendimento da economia dos concelhos de Monção e Melgaço.

Poderia aqui sugerir-se um ou outro vinho das inúmeras ofertas existentes no mercado, mas a escolha recai antes numa das empresas do setor, a PROVAM. Em vez de um único vinho, vários vinhos duma vez.



A PROVAM - Produtores de Vinho Alvarinho de Monção, Lda., é uma empresa com pouco mais de 20 anos de idade e que construiu uma posição de destaque no cluster do Alvarinho.

Pergunta o leitor, e pergunta bem: e porquê recomendar aqui a PROVAM e não qualquer outra empresa como, por exemplo, a Adega Cooperativa de Monção, a Quintas de Melgaço ou uma das várias quintas existentes? Por um motivo simples e prosaico: vários dos seus produtos já foram testados, e, não menos importante, na óptica deste espaço, a empresa está instalada a menos de meia-dúzia de quilómetros da Casa da Toca, na freguesia de Barbeita, exatamente a meio do percurso entre a Casa da Toca e a vila de Monção. O que naturalmente, só por si, justifica uma visita para abastecimento.



Entre os seus produtos, é o Varanda do Conde - um verde que incorpora as castas Alvarinho e Trajadura - aquele que mais habitualmente compro (e consumo), aqui e ali complementado pelo Portal do Fidalgo (a sua marca de entrada no Alvarinho) e o Vinha Antiga (um Alvarinho superior). Para além destes, a empresa tem outras ofertas na sua carteira, incluindo espumantes e provavelmente alguma aguardente.

Sendo um produtor, a sua vocação não é naturalmente o retalho e a venda ao público, mas não se iniba de lá passar porque existem condições suficientes para ver os produtos expostos numa pequena vitrina e poder adquiri-los. Sempre fui bem atendido e de forma profissional, por um preço que justifica bem a visita.

Precisamente por causa disso e porque esta empresa, embora jovem, representa do meu ponto de vista o resultado positivo de muitos anos de trabalho em torno de uma casta e de um vinho, só posso recomendar a visita e a aquisição dos seus produtos no próprio local. A menos de meia-dúzia de quilómetros da Casa da Toca.

Repórter X, boa vida e sugestões à volta do Apartamento na Quinta do Lago (Almancil, Loulé) e da Casa da Toca (Sá, Monção).

ShareThis