2020-01-20

Dissertação de Mestrado


***

Empreendedorismo Académico e Competitividade Regional – Estudo do Impacto do Empreendedorismo Académico na Competitividade de Três Regiões Portuguesas
Lara Isabel Fernandes Leite
2012

«A competitividade regional é fomentada por vários elementos, nomeadamente do ambiente empresarial e das estruturas industrial, tecnológica e institucional das regiões. Vários modelos para a análise da competitividade regional têm vindo a ser implementados com base em indicadores objetivos, como a Formação Bruta de Capital Fixo e o número de patentes registadas por empresas regionais. No entanto, aparentemente, o papel das instituições de ensino superior não são considerados. Da mesma forma, pouco se conhece sobre o impacto das atividades desenvolvidas pelas universidades no aumento da competitividade de clusters regionais. De facto o papel da universidade contribui para o desenvolvimento económico regional de várias formas, através da pesquisa, da criação de capital humano por meio de ensino, do desenvolvimento e transferência de tecnologia, e até na criação de um meio inovador na região. Neste estudo pretende-se investigar a vantagem competitiva que as instituições universitárias incrementam a determinadas regiões. Em particular, analisa-se o papel das instituições de ensino superior na criação de novos negócios, assim como na cooperação com o setor de Tecnologias e Sistemas de Informação, em três regiões portuguesas (Minho, Grande Porto e Grande Lisboa) procurando verificar de que forma fomentam a competitividade empresarial e regional. Neste contexto, partindo de evidência empírica internacional, clarificou-se de que forma as atividades desenvolvidas pelas instituições de ensino superior têm impacto no aumento da competitividade regional, efetuando-se, a partir dessa informação, uma análise do impacto das universidades sobre o sector dos sistemas de informação em três sub-regiões portuguesas, partindo de uma análise estatística. Com o estudo pode-se concluir que as empresas recorrem à cooperação com várias entidades, como as universidades, para colmatar as dificuldades em inovar, e que a magnitude do contributo das atividades desenvolvidas pela universidade não é tao grande como se esperava, no que respeita à competitividade regional.»

2020-01-19

Wine & Books

IMG_0865

IMG_0864

2020-01-16

Folium

Folium, uma selecção de livros sobre métodos e técnicas de investigação recomendados pelo editor deste blogue a estudantes de mestrado e doutoramento. A capa não representa necessariamente a última edição do livro.

Folium, a selection of books on research methods and techniques recommended by the editor of this blog to master and PhD students. The cover does not necessarily represent the latest edition of the book.

2020-01-14

Questões sobre estratégia


  • Discuta em que medida a estratégia da Google é caracterizada por diversificação relacionada ou diversificação não relacionada.
  • Usando os critérios para a avaliação e selecção de estratégias, identifique e avalie as opções estratégicas de uma das seguintes empresas à sua escolha (escolha uma só empresa): Google, Ebay, Amazon, NCR, Rayanair, Zara.
  • «As alianças estratégicas não sobrevirão no longo prazo se forem vistas apenas como remendos na base de recursos, actividades e competências da empresa.» Comente esta afirmação.
  • «A Giorgio Armani SpA é uma empresa italiana privada pertencente principalmente à família Armani. A maioria das suas peças de vestuário e acessórios são produzidos e comercializados pela empresa (alguns são produzidos por fornecedores externos). Noutros produtos, nomeadamente perfumes, cosméticos, e óculos, a Armani licenciou as suas marcas a outras empresas. A Armani está a pensar expandir-se para o vestuário desportivo, hotéis e lojas para noivas.» Aconselharia a Armani a desenvolver-se internamente ou através de relações inter-organizacionais como, por exemplo, alianças estratégicas? Justifique as suas escolhas.
  • A Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho pretende melhorar a eficácia no desenvolvimento e fornecimento de programas de formação, e aumentar a eficácia dos seus diplomados nas suas carreiras. Que ferramentas e sistemas de gestão de recursos de informação, conhecimento, ou outros podem ser implementados de forma a alcançar aqueles objectivos?

Fonte: questões criadas e adaptadas por Vasco Eiriz a partir de conteúdos disponíveis em Grant, Robert M. (2010). Contemporary Strategy Analysis, 7/e, Wiley, Cambridge, MA, e Johnson, Gerry; Scholes, Kevan; Whittington, Richard (2008). Exploring Corporate Strategy, 8/e, Financial Times/Prentice–Hall, Harlow. O autor agradece o apoio dos estudantes de Tópicos de Estratégia Empresarial da edição de 2010-2011 do Mestrado em Economia Industrial e da Empresa, da Universidade do Minho.

2020-01-12

Wine & Books

IMG_5202

IMG_5200

2020-01-10

Papel

IMG_1579

IMG_1592

IMG_1580

IMG_1617

IMG_1589

2020-01-06

Dissertação de Mestrado



***

A Influência das Redes de Relacionamento no Processo de Internacionalização das Pequenas e Médias Empresas
Amadeu Filipe Monteiro Martins Gonçalves
2012

«Sendo as pequenas e médias empresas a forma empresarial predominante em Portugal, representando cerca de 99% do total das sociedades e gerando cerca de 58% do volume de negócios totais, é fácil perceber a importância da internacionalização destas empresas para o desenvolvimento da economia e da sociedade portuguesa. Ao longo das duas últimas décadas, assistiu-se a um aumento do comércio internacional em que muitas PME portuguesas se internacionalizaram. No que concerne à internacionalização das PME, um dos fenómenos mais marcantes diz respeito às redes de relacionamento. Vários investigadores têm confirmado que as empresas são influenciadas por redes de relacionamento no seu processo de internacionalização. Nas PME é muito importante a decisão que tomam quanto à escolha do mercado de destino e o modo de entrada. O presente trabalho de investigação tem como objetivo estudar como os diferentes tipos de redes de relacionamento influenciam a escolha do mercado de destino e o modo de entrada nesses mercados. Assim, procura-se abordar as redes como fator crítico para uma PME se internacionalizar. Esta investigação adota uma metodologia qualitativa, analisando cinco estudos de caso. Os dados foram recolhidos através de entrevistas e complementados com dados secundários. Os dados recolhidos foram transcritos e categorizados e cada empresa foi analisada, seguido de cruzamento e comparação de dados. Os resultados mostram que todas as empresas estudadas foram influenciadas por redes de relacionamentos na escolha do mercado de destino, na escolha do modo de entrada e no acesso a novas redes. No entanto nessas empresas, a escolha do mercado de destino foi mais influenciado pelas redes de relacionamento do que a escolha do modo de entrada.»

2020-01-05

Wine & Books

IMG_5197

IMG_5198

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.