30 Setembro 2014

É tempo de ...

... bindima do binho berde!

29 Setembro 2014

Tópicos (15)

Social Media and Social Networking in Industrial Marketing, é assim o tema com chamada de trabalhos em curso para um número especial do Industrial Marketing Management a editar por William Yu Chung Wang (AUT University, Nova Zelândia) e David Pauleen (Massey University, Nova Zelândia).

«Social media and social networking sites such as Facebook, Twitter and LinkedIn have become extremely popular over the past five years. The adoption and use of these channels apply not only to social activities but to commercial sectors as well. Companies now use video, blogs, podcasting, social network communities and other online media to release news and directly approach customers. These marketing platforms operate 24/7 and provide attractive interactive environments for customers and companies. The commercial adoption of social media has attracted widespread attention in such academic disciplines as marketing, information systems, human resources and organizational behaviour. However, there remains a shortage of theoretical frameworks on how those platforms can increase brand equity and enhance business performance in business-to-business markets. While research has focused on the marketing of consumers’ products rather than business-to-business marketing and channel relationships, it is clear that social media also facilitates collaboration between trading partners through innovative, visual, and timely communicative media including, in particular mobile channels. A survey done by Duke University and the Chief Marketing Council 2013 shows that current social media spending is about 6.6% of the total marketing budget and it will grow to 9.1% in twelve months and to 15.8% in five years indicating a 140% increase. Nonetheless, the survey also reveals that only 15% of the companies studied have proven quantitative benefits, with 36% showing some qualitative impacts, and a significant 49% unsure of any benefits. Interestingly, the results also conclude that between 2011 and 2013 the effectiveness measurement of using social media for marketing has not changed. So despite that the importance and wide recognition of using social media and social networking for marketing as reported by practitioners in the survey, the companies, themselves, are not effectively integrating social media with their marketing strategies. Although the social media and social networking trend is promising, it is not yet clear whether or not these socio-technologies can be applied to industrial marketing. As mentioned, theoretical frameworks and proven methodologies using social media to create the content and relationship building processes that can create effective marketing and networking efforts are lacking. There is also a need to identify constructs and formulate models for measuring the return on investment of social medial adoption in the B2B market place. Little is known how to maximize the utilization of social media and networking to enhance collaboration between trading partners for distribution and product development and to increase brand equity. Better understanding of how and why organizations choose their practices for utilizing these platforms has significant implications for industrial marketing. As such, the objectives of this special issue will reflect the most recent advances on the marketing theories and the organizational adoption of social media and social network for industrial marketing and branding and to explore future research directions. Topics of interest include but are not limited to: Advertising of industrial products via social media and social networking sites; Theoretical development and extension of relevant networking and marketing theories applied to business markets; Social Media and Best Practice in industrial organizations; Social media case studies in industrial marketing management – the story of launching, producing, and maintaining market leads and gaining profits; Issues related to B2B brand equity and recognition; Frameworks for industrial corporate branding; Customer services and experiences; Industrial Content Marketing; B2B relationships in cyberspace; Marketing capabilities and relational performance; Social marketing in social media; Marketing personnel and information systems; Strategies in industrial marketing; Collaborative projects with partners via social networking; Social media and viral marketing in the industrial market; Social networking and supply chains; Social media (big) data and business marketing strategies. In this special issue, we especially seek original contributions of successful real-life applications and empirical research of social media and social networking and their impacts on marketing theory. Conceptual papers and other related topics, supported by strong theoretical background, are also welcome.»

28 Setembro 2014

26 Setembro 2014

A continuares assim, vais acabar a fazer a Feira dos Santos

Está excitadissímo com a sua primeira venda no Fnac MarketPlace. Agrada-lhe tanto ou mais testar o modelo de negócio, o sistema de informação e a logística desta gente que tem «pour ambition de renforcer nos positions sur nos marchés» do que propriamente os parcos cobres arrecadados. Não rejubila plenamente porque o pragmatismo recomenda-lhe não lançar foguetes antes de ver o correspondente crédito bancário. Mas foi uma boa forma de se ver livre daquele longo livro de psicologia infantil, esperançado que a menina Tânia, a sua primeira e simpática cliente de Santarém, possa tirar dele mais proveito. Nem uma página tinha lido, mas para psicologia e infantilidade de mãos dadas, bastou-lhe. Para além do preço, os argumentos do anúncio eram embatíveis: «Estado impecável; nem sequer foi lido; terceira edição; capa dura».



Antes de o colocar numa caixa de perfume da Agatha Ruiz de la Prada que encontrou na garagem, embalou o livro numas folhas do Diário do Minho, o jornal da Arquidiocese de Braga, também ele na garagem a caminho da reciclagem. E ocorreu-lhe que tudo junto - a psicologia, Agatha e a Arquidiocese - seriam uma fórmula de sucesso ou, como se diz agora, uma proposta de valor. Depois fez-lhe um embrulho em papel daqueles que só ele sabe fazer. E siga que se faz tarde. A cliente aguarda pela mercadoria.

24 Setembro 2014

Há um século

Avaliar um romance ao fim do primeiro capítulo pode ser um exercício precipitado. Sobretudo quando nos esperam largas centenas de páginas pela frente. Em todo o caso, as primeiras páginas da trilogia que toda a gente já leu cativam o leitor. Como é apanágio em muita da ficção britânica, aqui respira-se luta de classes em cada suspiro, em todos os poros. Suspeita-se do que aí vem mas fica-se na expectativa e aguardam-se surpresas. Mas, como dizia, há algo de sedutor no relato da vida da criança que está no centro destas páginas iniciais. Era assim, naquele tempo e naquele lugar: no dia do seu 13.º aniversário, dia imediatamente a seguir a ter terminado a escola, no longínquo 22 de junho de 1911, Billy levanta-se às quatro da manhã e tem o seu primeiro contacto com uma nova vida, uma vida dura, a de aprendiz de mineiro num lugarejo no País de Gales. Como eram diferentes aqueles tempos e como, apesar de tudo, as relações humanas permanecem idênticas em muitos valores e comportamentos. Afinal de contas, um século não é assim tanto tempo.

23 Setembro 2014

Estratégia Empresarial

Na área de recursos desta página.

22 Setembro 2014

Um Americano em Paris

Diz a experiência que se terminada a aula de apresentação um estudante vem de imediato ter com o professor, garantidamente leva-lhe matéria suspeita. Voltou a acontecer. Curioso, aproxima-se e algo hesitante - porventura a prever que ía dizer um grande disparate - pergunta se a disciplina tinha mais influência "americana" ou seriam abordadas preferencialmente as questões da "crise europeia"! Dizia ele que no Brasil já tinha feito formação em estratégia sob influência americana e estava curioso!! Se a abordagem já me tinha arrebatado, confesso que quando me falou na influência americana e na crise europeia devo ter caído para o lado. Para além do esboçar de um sorriso amarelo, não me recordo o que respondi. Mas agora que penso em retrospectiva no episódio, fico com a leve sensação que perdi uma inscrição, talvez por causa do amarelo carregado. Penso e repenso na questão das grandes influências paradigmáticas e concluo que, se alguma vez me voltarem a colocar questão tão delicada, destacarei a profundidade do olhar do cinema italiano com estilo elogiado nos Cahiers du Cinéma, entremeado com um toque da Gestalt alemã e do noir sueco, tudo devidamente hidratado com o Alvarinho aqui da terra. Explosivo. Será que desta forma o americano faz a inscrição?

21 Setembro 2014

19 Setembro 2014

Coisas chatas da pedagogia

Coisas chatas da pedagogia que se escrevem nos relatórios:

«[...] Haveria vantagem em que os sistemas de informação da universidade garantissem que os SDUM (n.r. Serviços de Documentação da Universidade do Minho) possuam os manuais escolares mais actuais (últimas edições) conforme recomendação na bibliografia obrigatória da unidade curricular. Desde logo porque envolve aquisições em escala que devem ser profissionalizadas, este procedimento deveria ser centralizado nos SDUM. Em síntese, uma política de garantia da qualidade do ensino/aprendizagem requereria a formalização de procedimentos eficazes de aquisição atempada de bibliografia.[...]»

«[...] Os resultados de aprendizagem alcançados pelos estudantes - aferidos pelas suas classificações - são adequados nos estudantes que se submeteram a avaliação. Existe, contudo, um número importante de estudantes inscritos que nunca compareceram a aula nem tão pouco se submeteram a avaliação. Este facto indicia existirem "estudantes fantasma" que se inscreveram indevidamente e não levaram avante os seus estudos por motivos que importa apurar. Afim de minimizar candidaturas espontâneas e inscrições inconsequentes, sugere-se a aplicação de taxas de candidatura superiores (podendo ser descontadas no momento do pagamento da propina) e cobrança de propinas (total ou parcial) no momento da inscrição.[...]»

17 Setembro 2014

Gestão Estratégica

Na área de recursos desta página.

16 Setembro 2014

Já lá estavam os 40 ladrões

Há uma empresa chinesa chamada Alibaba que vai entrar na bolsa nova-iorquina. Parece que é um dos maiores IPOs (não confundir com os de Lisboa e Porto) de sempre. É gratificante para o debate ideológico ver comunistas - ainda por cima com uma empresa de comércio electrónico - a bater os capitalistas no seu próprio terreno e com as suas próprias armas.

15 Setembro 2014

Ainda não tiraste a tua selfie?!

O verão passa rápido e descontente. Tão rápido que esta semana já há aulas para dar. Dar, salvo seja. Em pleno verão. Com descontentamento, ainda por cima com novos regulamentos académicos e plataformas irritantes, nem se imagina o que fazer na primeira aula. Fica-se tentado a aderir à moda de verão - selfies - e ... universidades de verão. Elas tomam conta do país por estas alturas e é tão grande a quantidade de selfies que aí abunda que a coisa até contamina. Ocorre por isso antecipar o sumário da primeira aula. Na última semana de verão: Hermenêutica da selfie e seu alojamento em feicebuques.

13 Setembro 2014

12 Setembro 2014

Na praia

Procuro pedras, habitualmente para fazer delas pisa-papéis. Estudo-lhes a forma, o tamanho, os filamentos, a cor, as irregularidades. Mas creio que esta aqui não me vai dar jeito.

11 Setembro 2014

Ready, set, enter

Embora este tempo seja propício a equívocos jocosos - como o demonstra a parangona do Correio da Manhã de hoje a informar de "show erótico na academia de Coimbra" com 500 pessoas -, em início de mais um ano lectivo vale a pena lembrar que a escola não é uma app store nem um android market.

ShareThis