2017-09-19

Fall Apart





2017-09-16

Wine & Books

IMG_2010

IMG_2011

2017-09-15

Questões sobre estratégia


  • Analise uma organização com a qual se sinta familiarizado e discuta as mudanças com que se confronta. [457-1]
  • Que papel devem os estrategas desempenhar na gestão da mudança? [457-4]
  • Porque é que a maioria das organizações acha que gerir a mudança é tão difícil? [457-6] Discuta as barreiras à mudança que enfrenta uma organização à sua escolha.
Fonte: seleção, tradução, adaptação e edição de Vasco Eiriz e Joana Barbosa a partir de questões disponíveis em Cunningham, James; Harney, Brian (2012). Strategy & Strategists, Oxford University Press, Oxford. Entre parênteses reto identifica-se, para cada questão, a página e o número da referida questão na sua versão original. Através desta localização, o leitor pode explorar o capítulo respectivo para ensaiar respostas.

2017-09-13

Place & Space

IMG_0072

IMG_0082

IMG_0075

IMG_0069

IMG_0096

2017-09-11

Inventário de autarcas

Clique para aumentar

2017-09-09

Wine & Books

IMG_2009

IMG_2007

2017-09-07

Da Beira Alta à Figueira da Foz


2017-09-06

Projetos de investigação em curso

Com este Seminário de Investigação assinalou-se o início de mais um ano letivo. Se não na sua preparação e planeamento - tarefas iniciadas há já algumas semanas -, nem tão pouco na atividade letiva - as aulas começam na próxima semana -, pelo menos iniciou-o sob a forma duma sessão de trabalho que nos ocupou a manhã do primeiro sábado de Setembro. Em Braga, a Noite tinha sido Branca, mas essa manhã foi azul.


Participaram um conjunto de quatro investigadores que terminaram há algumas semanas os seus projetos de investigação em diferentes mestrados da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. Curiosamente, não se conheciam entre si. São eles Rita Araújo, Diogo Dantas, Patrick Fernandes, e Nuno Venda que, para além de me terem convidado para orientador, têm em comum o fato de irem trabalhar temas de pesquisa na intersecção entre a estratégia empresarial, marketing e empreendedorismo.


A Rita Araújo propõe-se estudar de que forma uma conjunto de empresas de diferentes sectores de atividade atuam ou podem atuar em rede contribuindo para aumentar a atractividade turística duma cidade do interior. Diogo Dantas pretende caraterizar os prestadores de serviços de alojamento local numa outra importante cidade e seu impacto no turismo local dessa cidade. Patrick Fernandes está a estudar de que forma as empresas de diferente sectores localizadas num determinado contexto rural do interior desenvolvem a sua estratégia e encontram aí condições favoráveis ao seu desempenho. Finalmente, Nuno Venda irá adoptar uma abordagem em rede para compreender o posicionamento da marca duma importante empresa industrial no mercado "business-to-bussiness" em que atua.

Fazendo uma breve meta-análise destes quatro projetos, destaco os seguintes traços:

  • Em termos sectoriais sobressai o turismo e sectores relacionados. Pelo menos dois projetos têm o seu foco no turismo e um terceiro pode também aí tocar no momento de escolher com maior precisão as empresas a estudar. A esta atracção pelo turismo não é evidentemente alheia a mediatização e importância crescente que ele tem assumido na economia portuguesa, circunstância que naturalmente é tida em conta no momento dos investigadores fazerem escolhas. Apesar disso, deve, contudo, ser assinalado que os sectores específicos em estudo, embora ligados direta ou indiretamente ao turismo, cobrem indústrias especificas que na sua estrutura, dinâmica e oferta são muito distintas.
  • Outro aspeto que vale a pena destacar no contexto destes estudos, é o foco em territórios do interior, algo que está bem explicito em dois dos quatro projetos. Ora, esta possibilidade de darmos contributos para territórios menos estudados e compreendidos é algo que me atrai. Numa das outras pesquisas, o foco de estudo num mercado organizacional numa importante indústria transformadora a que tem sido dada pouca atenção (como, aliás, parece ser o caso de grande parte das indústrias transformadoras) contribui também para uma delimitação contextual que prima pela originalidade.
  • Em termos metodológicos há equilibrio entre estudos qualitativos e estudos quantitativos. Num dos estudos qualitativos, não está, contudo, excluída a possibilidade duma abordagem hibrida.

De resto, e para concluir, destaco o fato destes projetos, embora com diferentes graus de maturidade, terem sido trabalhados durante meses, reunindo, por via disso, excelentes condições para serem terminados com sucesso. Há neles uma grande margem para darem contributos válidos, interessantes e originais para as diferentes realidades em estudo.

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.