2007-12-06

Distribuição de Dividendos
Por Vasco Eiriz

Um Big Mac de mota, por favor
Já aqui tínhamos assinalado a forma como o McDonalds continua a crescer, embora seja há muito tempo o claro líder mundial do seu sector. Quando o fizemos destacamos uma receita simples mas muito difícil de implementar no sector em causa: o alargamento de horários, ao ponto de um número significativo dos seus restaurantes estar aberto 24 horas por dia e entrar noutros negócios. Pois bem, o McDonalds continua a surpreender-nos com receitas simples, daquelas bem elementares, mas que não ocorre a todos. Neste caso, a cadeia de "fast food" fez justiça ao seu conceito e em várias das grandes cidades do mundo está a recorrer a estafetas para entregas ao domicílio ou ao escritório. Isso está a ocorrer em sítios tão remotos como Xangai, São Paulo ou Manila e mais duas dezenas de cidades. O serviço começou em 1995 no Cairo, onde alguns dos seus restaurantes já facturam 80 por cento através deste canal, mas só agora começa a ser expandido mais seriamente. Continuemos portanto atentos aos formatos de crescimento adoptados pelo McDonalds que continua assim a ser bem sucedido com receitas tradicionais. E, claro, é preciso não esquecer que isto também é inovação.

Pizza com letras
Imagine o leitor que recorre a um serviço de refeições ao domicílio, como não é raro acontecer a muita gente. No Cairo e noutras paragens. Pois bem, será que o estafeta lhe pode trazer algo mais do que a refeição? Certamente que sim. Foi isso mesmo que a Biblioteca Municipal de Espinho e a Pizza Hut da cidade se propuseram levar a cabo. Isto é, quando encomenda uma pizza, o serviço pode incorporar a entrega de um livro da biblioteca local. Admitamos que, em termos logísticos, a montagem da operação deve ser um quebra-cabeças. Mesmo assim não pode deixar de se elogiar a iniciativa criativa de várias entidades partilharem um canal de distribuição e complementarem as suas ofertas, embora não conste que os livros em causa abatam as calorias da pizza!

Assembleia municipal por um canudo
Vista por um canudo a partir do Bom Jesus, a assembleia municipal lá em baixo, em Lisboa, fez lembrar uma reunião de baratas tontas. Ou então uma espécie de leilão invertido, a ver quem oferece menos. Pelos vistos, Costa - num rasgo de incoerência com a sua política enquanto ministro - fez desconto e a oposição, cada vez mais tonta, comprou: «Arrematado por 400 milhões», terá sentenciado Paula Teixeira com a sua Cruz.


Distribuição de Dividendos, uma coluna com estatutos desblindados que não necessita de autorização da assembleia geral para distribuir dividendos e garante OPAs céleres.

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.