2008-03-19

Governo e universidade com acção social

Depois dessa medida emblemática do Governo que é a privatização das feiras, a nação pressegue a sua agenda reformista:

«O secretário de Estado do Desporto afirmou [...] na inauguração do Campo de Práticas de Golfe da Universidade do Minho, no Campus de Azurém, que é objectivo do Governo incentivar a prática do golfe na sua vertente pública. [...] Laurentino Dias deu os parabéns pela relevância da infra-estrutura, na medida em que, por cerca de metade dos preços praticados em clubes privados, este campo permite não só aos estudantes da UM, mas à comunidade em geral, aprender um desporto que o secretário de Estado considera “muito caro”. E apesar de admitir que “não podemos, de um momento para o outro, transformar o golfe num desporto popular como noutros países”, o governante garantiu, porém, que “podemos criar condições para que haja mais pessoas a praticar golfe”. Neste sentido, aproveitou a ocasião para anunciar “um momento histórico na vida do golfe em Portugal” - o lançamento a concurso do primeiro campo de golfe público, a construir na zona do Estádio do Jamor. [...] Para Laurentino Dias este será o primeiro passo da referida política de incentivo, cujo objectivo passa pela criação campos de golfe de natureza pública, que não sendo propriedade de empresas privadas com vista à obtenção de lucro, sejam propriedade instituições públicas como a Universidade, o Estado ou as Autarquias, para “permitir aí fazer uma política de preços que dê acesso a mim, que, se quiser jogar golfe, num clube privado, não tenho dinheiro”, disse.» (Notícias de Guimarães, 25 de Janeiro de 2008)


Ficamos pois a saber que, não obstante a enorme contenção da despesa pública que envolve medidas como o encerramento de serviços de saúde, congelamento de carreiras e subidas de ordenado abaixo da taxa de inflação, o Governo mantém margem financeira para ... campos de golfe. Anota-se ainda o facto do anúncio de todas estas reformas estruturais ter ocorrido na Univerisidade do Minho, aquela mesmo onde trabalho e onde também o discurso da contenção orçamental colhe frutos. Mas sobre este investimento de "acção social" da universidade para classes desfavorecidas do tipo secretários de Estado que acham o golfe "muito caro" já muito se tem escrito e falado na Universidade do Minho ao ponto do assunto ter caído no anedotário local.

P.S. (nada de confusões): o destino prega-nos partidas. O Simão que está a realizar um campo de férias promovido pela Associação de Funcionários da Universidade do Minho vai hoje visitar o ... campo de golfe da universidade, onde provavelmente ensaiará umas tacadas. Só desejo que não me apareça em casa a dizer que quando fôr grande quer ir para a universidade para aprender a jogar golfe. Laurentino acharia bem!

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.