2008-10-30

Do mercado

Acabo de almoçar nos Serviços de Acção Social da Universidade do Minho (SASUM). Paguei cinco euros por um prato de carne do dia e um copo de água. Ontem tinha almoçado num restaurante da cidade onde também comi um prato de carne do dia, sopinha, pão e, imagine-se, bebi uma Coca-Cola de 33 centilitros, daquelas cheias de gás. Paguei 4,5 euros por tudo. Com uma importante diferença: no SASUM está em causa um "self-service", enquanto no restaurante está em causa um serviço à mesa. E para que tudo fique clarinho, há ainda outra diferença, não menos significativa: o empresário do restaurante terá que entregar 20 por cento ao Estado sobre a forma de IVA, o que significa que arrecada 3,75 euros. Estes 3,75 euros comparam com os 5 euros isentos de IVA praticados pelos SASUM para um serviço e um produto incomparavelmente inferiores. Obviamente, este "self-service" dos SASUM não tem menos movimento do que o restaurante. Na verdade, desfruta de um monopólio no seu mercado, enquanto o homem do restaurante sabe que à sua volta existem vários como ele.

P.S.: comensal atenta alertou-me que o IVA nos restaurantes é de 12 por cento e não 20. Refeitas as contas, significa que o senhor Manuel fica com 4,018 euros. Ainda assim trata-se duma taxa elevadissíma se comparada com a taxa de quem nada paga.

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.