2007-10-12

Distribuição de Dividendos
Por Vasco Eiriz

Jornalismo de referência
Esta semana chegou convite insólito duma revista, dessas que se distribuem com jornais de referência. A abordagem do outro lado da linha telefónica foi reticente, até que, habituado a que me peçam artigos para vários sítios, atalhei caminho perguntando se queriam um artigo meu. Que sim, foi a resposta. Mas era algo mais do que isso; a colaboração implicava envolver empresas que conhecesse dos meus projectos de investigação afim de comprarem espaço publicitário! Não totalmente estupefacto – sim, porque já quase nada me surpreende na comunicação social – argumentei que o normal era um autor ser retribuído por escrever um artigo, não o contrário. Mas pelos vistos, naquela revista não é bem assim. Ou antes, é o contrário disso. Delicadamente terminamos a conversa e dei comigo a pensar que só faltava vestir a batina de ardina e ir para a rua vender também o jornal. Já agora, para que conste, o jornal em que a revista é distribuída chama-se Público, um dos tais jornais que reclama ser de referência. Fique por isso o leitor atento: sempre que aí ler um artigo, desconfie se ele não terá sido pago para ser publicado.

Sol de pouca dura
Confirma-se a suspeita. Em matéria de preço de capa, a comunicação social portuguesa é tradicionalmente abusadora. Pratica preços insuportavelmente altos para o português com rendimentos médios. E, claro, não haja dúvidas, este é um dos motivos do baixo índice de compra de jornais no país. Poderia pensar-se que os entrantes no mercado alterassem este estado de coisas. Mas, quando assim é, trata-se de sol de pouca dura. Precisamente o Sol, que em matéria de preço prometeu brilhar mais, vai aumentar o preço. E sabem em quanto? Em 25 por cento. A mim não me perde como leitor pois nunca me tinha conquistado.

Desmaterialização e desintermediação
Se, como vimos, parece haver quem não compreenda alguns sinais do mercado, também há quem os assimile bastante bem. É esse o caso dos Radiohead, uma das bandas mais originais e criativas na produção musical dos últimos anos. Essa originalidade chegou agora à distribuição e preço da sua última produção, lançada precisamente esta semana. Convencionalmente, os Radiohead irão também comercializar um CD produzido e distribuído no modelo tradicional, embora tenham terminado a relação com a EMI, a sua editora de trabalhos anteriores. Antes mesmo do CD, o esparado "In Rainbows" está já a ser distribuído digitalmente através do endereço www.inrainbows.com pelo preço que o cliente queira pagar pelo "download". As contas serão feitas oportunamente mas arrisco que esta desmaterialização e desintermediação além de benéfica para os consumidores vai levar a uma maior rentabilidade para os Radiohead. Enfim, novamente na vanguarda do seu tempo.

Distribuição de Dividendos, uma coluna com estatutos desblindados que não necessita de autorização da assembleia geral para distribuir dividendos e garante OPAs céleres.

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.