2007-11-03

A Medida do Mundo
Daneil Kehlmann
Presença, 2007

Situemo-nos. Todos os livros que este blogue seleciona foram lidos. Só muito excepcionalmente, aqui se dá destaque a um livro por ler, embora, mesmo nesses raros casos, o livro escolhido esteja em lista de espera para consumo. Pois bem, este "A Medida do Mundo" inaugura uma nova categoria, a de livros com leitura interrompida a meio. Trata-se, de facto, da maior decepcção da mesinha de cabeceira nos últimos meses, para não dizer anos, motivo a que também não serão alheias as elevadas expectativas por ele suscitadas, não tanto pelas vendas na Alemanha, seu país natal, mas pelas personagens. Enfim, uma maçada, de que aqui se dá conta com adjectivação da editora.



«Este romance é como que uma magnífica fábula do Século das Luzes, ao retratar as personalidades de dois gigantes do Iluminismo alemão: Alexander von Humboldt e Carl Friedrich Gauss. A narração começa quando os dois eminentes sábios se encontram em Berlim, no ano de 1828. Humboldt, aristocrata e asceta, fanático da medida, torna-se um dos fundadores da moderna geografia graças às suas incansáveis explorações pelo mundo, enquanto Gauss, o Príncipe das Matemáticas, prefere ficar sentado à secretária fazendo cálculos, exilado de um futuro a que sente pertencer. Apesar das diferenças que os separam, têm em comum o anseio de compreender o mundo através de fórmulas verificáveis pela Razão. A Medida do Mundo manteve-se durante cerca de um ano à cabeça das tabelas de vendas na Alemanha e foi traduzido em 34 países. Daniel Kehlmann é considerado um renovador da literatura de ficção em língua alemã.»

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.