2008-04-07

Laibach em concerto

O que mais estranhou no concerto dos Laibach realizado no Theatro Circo, em Braga, no passado sábado, foi a assistência (ou a ausência dela) que ocupou sensivelmente metade da plateia da sala principal. Generosamente, não mais de 300 pessoas. Que sabiam ao que iam. De resto, nada de surpresas. Começando, desde logo, pela abertura. Em ritmo de entrada, com a cortina por levantar, um brinde à assistência com o hino de Portugal. Afinal de contas, o concerto - penúltimo da digressão em curso que termina amanhã em Estugarda - tem por pano de fundo Volk, último álbum da banda, datado de final de 2006. Daí que a primeira parte do concerto - exactamente 60 minutos, sem tirar nem pôr - tenha sido dedicado em particular ao álbum Volk, no qual os Laibach procedem à adaptação de hinos de várias nações. Pelo seu ritmo, desta parte retive sobretudo as versões dedicadas à Turquia e Espanha. A segunda parte - na qual a projecção de vídeos se manteve - foi bem melhor. Vieram ao de cima os ritmos mais marciais dos Laibach com muita electrónica, vibrante quanto baste. Nuns momentos mais perto de ritmos industriais. Noutros, o som era mais techno e dançável. Quando terminou, cá fora, não mais do que dois ou três carros, celebravam a vitória dos Andrades no campeonato. Com as trombetas do costume.


P.S.: já depois de publicar este "post" dei com um primeiro vídeo do concerto. Curiosamente, o tema dedicado a Itália, um dos momentos musicalmente menos atractivos do evento. Uma seca. Também o Borrador B, um blogue espanhol (através do qual cheguei ao vídeo), escreveu informadamente sobre o concerto num registo com o qual partilho de opinião.

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.