2016-02-08

Multinacionais e clusters

«A entrada de uma empresa multinacional num cluster, entendido como aglomeração geográfica, geralmente de pequenas e médias empresas, especializadas num sector e instaladas num determinado local ou região, produz efeitos sobre o cluster como um todo, sobre as empresas que constituem o cluster e sobre a multinacional. Nesta investigação foi dado especial enfoque nos impactos da entrada de numa multinacional num cluster e efeitos na estratégia das empresas instaladas nesse cluster. No sentido de compreender os principais efeitos da entrada de uma multinacional na estratégia das empresas instaladas num cluster, foi analisada a entrada da IKEA no cluster do mobiliário de Paços de Ferreira e Paredes. Neste estudo, a técnica de recolha de dados utilizada para obtenção de dados primários foi o inquérito por questionário, tendo sido obtidas 66 respostas válidas de empresas instaladas no cluster em análise. Na amostra predominam as microempresas e empresas em nome individual, o que corresponde à estrutura de empresas dominante no cluster do mobiliário. Em termos de resultados, mais de metade das empresas respondentes considera não ter havido impacto com a entrada da multinacional. No entanto, as empresas que consideraram ter havido elevado impacto, consideram que o mesmo foi negativo. Os fatores que melhoraram de forma mais significativa após a entrada da IKEA foram o desenvolvimento de novos produtos e as estratégias de exportação. As principais respostas das empresas à entrada da multinacional passaram pela internacionalização do negócio e pela aposta em estratégias de diferenciação e focalização.»
Este é o resumo da dissertação intitulada Entrada de Multinacionais num Cluster e Efeitos na Estratégia das Empresas Instaladas, da autoria de Diana Teixeira Carvalho, a que fiz referência há dias neste blogue.

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.