2017-04-21

Empreendedorismo no Alto Minho

Está marcada para o dia 26 de Abril de 2017, pelas 11:00 horas, na Sala de Atos da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, a prova de mestrado em que Carlos Jorge Sousa Miranda defenderá a sua dissertação do Mestrado em Estudos de Gestão intitulada Empreendedorismo em Espaço Rural: Estudo dos Empreendedores e Instituições de Apoio ao Empreendedorismo no Alto Minho.

Trata-se duma dissertação com um tipo de pesquisa que pela sua extensão, profundidade e interesse é raro encontrar hoje em dia num mestrado. Como o próprio título sugere, a pesquisa realizada insere-se no âmbito do empreendedorismo regional, mais especificamente em contexto rural, tendo sido objeto de estudo o território do Alto Minho, delimitado pelos 10 concelhos que integram o distrito de Viana do Castelo. Um dos factores distintivos da pesquisa é o fato de terem sido inquiridos dois tipos de agentes que atuam no território escolhido, num total de 338 respostas: empreendedores que desenvolvem a sua atividade em empresa própria; e decisores e agentes locais que atuam em diferentes instituições de apoio ao empreendedorismo.





«O desenvolvimento dos territórios, a exploração de oportunidades de negócio, e a criação de emprego, empresas e negócios em espaços rurais estão fortemente dependentes da atividade empreendedora dos agentes económicos e da rede institucional de apoio ao empreendedorismo desses territórios. Dinamizar a rede e o ambiente empreendedor pode dar um contributo decisivo para contrariar o problema do esvaziamento populacional dos territórios rurais. Este estudo pretendeu perceber as dinâmicas empreendedoras e a rede institucional de apoio ao empreendedorismo e às empresas existente na região do Alto Minho, como ponto de partida para a apresentação de propostas, e melhoria da eficácia dos programas e estratégias de apoio ao empreendedorismo. O método de estudo recorreu a uma avaliação quantitativa através de inquérito à população do Alto Minho. A investigação permitiu recolher dados de 338 indivíduos, dos quais 160 empresários. Os resultados alcançados permitem concluir que no Alto Minho, o capital humano e o capital social são fatores decisivos para a criação de empresas e para o sucesso dos negócios. A rede de entidades de apoio ao empreendedorismo e às empresas no Alto Minho apresenta uma cobertura territorial suficiente, embora a qualidade e competências dos seus agentes não seja muito valorizada pelos respondentes. Os fatores relacionados com a preparação do empreendedor, o conhecimento do negócio, e a competência da rede institucional são reconhecidos como fundamentais para a criação das empresas e para a sua sustentabilidade e crescimento futuro. Existe uma perceção generalizada de que é imperativo valorizar e tornar mais eficazes a rede existente de apoio ao empreendedorismo e os programas que ela promove. A análise por concelho não apresenta diferenças estatisticamente significativas na generalidade dos indicadores avaliados.»

Instagrams

© Vasco Eiriz. Design by Fearne.